Uma teoria matemática não deve ser considerada completa, até que você a tenha deixada tão clara, de modo a poder ser explicada para o primeiro homem que você encontrar na rua.

David Hilbert (1862 - 1943) - Em discurso no Congresso Internacional de Matemática em Paris, 1900  (Bulletin of the American Mathematical Society 8, 1902, tradução nossa).

I FECITBA

O CPADC, em parceria com o LAPMAT, está organizando a I Feira de Ciências e Tecnologias Educacionais da Mesorregião do Baixo Amazonas - I FECITBA. Confira abaixo as informações sobre o projeto:

 

OBJETIVOS
Geral:
Auxiliar na elaboração e execução de projetos de investigação de caráter científico e tecnológico desenvolvidos preferencialmente por estudantes de escolas públicas da Mesorregião do baixo Amazonas-Pará, orientados por seus professores, a fim de estimular o gosto pelas Ciências e Tecnologias educacionais, para melhoria do ensino e aprendizagem de conhecimentos científicos e tecnológicos. Pretende assim estimular jovens talentosos a seguirem carreira técnico-científica e a docência nessas áreas, especialmente as meninas, tendo a I FECITBA-PA como processo de culminância após a realização das feiras escolares.
Específicos:
● Realização de Oficinas para formar professores que sejam agentes de apoio aos trabalhos escolares científicos e tecnológicos dos diversos municípios da Mesorregião para auxiliarem outros professores das escolas no trabalho com projetos de investigação;
● Estimular e apoiar à criação de Clubes de Ciências nas escolas da Mesorregião de modo a dar continuidade às ações iniciadas com esse projeto;
● Incentivar a organização de projetos de investigação durante o ano nas escolas durante o período letivo de modo à Feira escolar ser vista como um momento de culminância das aprendizagens adquiridas;
● Apoiar, através dos agentes de apoio aos trabalhos escolares científicos e tecnológicos, a elaboração e execução dos projetos nas escolas dos respectivos municípios;
● Apoiar a realização das feiras escolares e escolher os melhores trabalhos para exposição na I FECIBA-PA;
● Organizar e realizar a I FECITBA-PA;
● Busca de parcerias de iniciativa pública e privada que possam apoiar a proposta.
MUNICÍPIOS DE ABRANGÊNCIA DO PROJETO
O projeto prevê o desenvolvimento e inscrições de projetos oriundos dos 15 municípios da mesorregião do Baixo Amazonas: Santarém, Alenquer, Almeirim, Belterra, Curuá, Faro, Juruti, Mojuí dos Campos, Monte Alegre, Óbidos, Oriximiná, Placas, Porto de Moz, Prainha e Terra Santa.
PROCEDIMENTO DE INSCRIÇÕES E PARTICIPAÇÃO DOS AGENTES DE APOIO AOS TRABALHOS CIENTÍFICOS E TECNOLÓGICOS
As atividades do projeto, desde as oficinas para formação de agentes de apoio aos trabalhos científicos e tecnológicos escolares até a realização da I FECITBA serão divulgadas por meio da página institucional da UFOPA (www.ufopa.edu.br), da página de rede social do CPADC (cpadcdaufopa.facebook.com.br) e com materiais de divulgação (cartazes e folderes) nas escolas da região de abrangência, com auxílio dos professores que mantém contato com o CPADC e o LAPMAT, bem como com parceria das Secretarias de Educação e dos professores lotados nos campi universitários da UFOPA.
As inscrições para as Oficinas de agentes de apoio aos trabalhos científicos e tecnológicos escolares ocorrerão on-line em página institucional da UFOPA com previsão de início em ABRIL/2018 e a realização das oficinas tem previsão para acontecerem em MAIO e SETEMBRO/2018.
A carga horária dessas oficinas será de 70h assim distribuída:
● 32h presenciais, sendo dois encontros de 12h e um encontro de 8h (em 2 meses diferentes do ano);
● 28h de carga horária de orientação a professores das escolas devidamente comprovadas.
● 10h de carga horária de apoio à realização da I FECITBA-PA.
QUEM DEVE DESENVOLVER ESSES PROJETOS NAS ESCOLAS?
Os trabalhos com projetos de investigação de caráter científico e tecnológico serão desenvolvidos nas escolas pelos estudantes do ensino fundamental (a partir do 6º ano) e médio, orientados por seus professores. Os resultados dos projetos irão para uma Feira de Ciências realizada na escola e os que tiverem se destacado serão inscritos para participarem da I FECITBA-PA. A equipe do projeto da FECITBA poderá dar apoio aos agentes para a escolha dos melhores trabalhos das escolas, considerando critérios previamente estabelecidos (ver próxima seção deste folder).
Haverá certificação para os agentes que participarem dos cursos e entrega de medalhas no encerramento da I FECITBA-PA.
COMO SERÃO FEITAS AS INSCRIÇÕES PARA PARTICIPAÇÃO NA I FECITBA-PA?
As inscrições para a I FECITBA-PA serão feitas em formulário on-line ou, no caso da dificuldade de acesso à internet de algumas localidades, através de formulário impresso preenchido pelos professores e agentes que devem trazer ao CPADC da UFOPA, em Santarém, no prazo previsto no cronograma a ser divulgado no edital.
CRITÉRIOS DE ESCOLHA PARA PREMIAÇÃO DOS TRABALHOS NA I FECITBA-PA
Não devem faltar nos trabalhos das feiras escolares:
1. Inicialmente levantamento de problemas/situações preferencialmente do contexto social do estudante (que sugere-se sintetizar na forma de pergunta(s));
2. Clareza de objetivo(s);
3. Descrição clara da metodologia desenvolvida;
4. Resultados que respondem aos problemas/situações iniciais;
5. Apresentação de bibliografia confiável em que se amparou o projeto (conforme a NBR 6023 de 2002).
Serão considerados para efeito de escolha dos trabalhos para a I FECITBA-PA:
1. Projeto desenvolvidos por estudantes de escolas públicas (pontuação máxima)
2. Participação de meninas entre os autores do trabalho (pontuação máxima)
3. Relevância do tema/problema/situação
4. Clareza e organização da escrita
5. Domínio de conteúdo dos estudantes participantes do projeto
6. Para os projetos de tecnologias educacionais, terá maior pontuação aqueles que focam na melhoria da acessibilidade de estudantes com necessidades educativas especiais.

PREMIAÇÃO DOS TRABALHOS
• 20 bolsas de iniciação científica júnior para estudantes
que tiverem os melhores trabalhos apresentados para que
possam desenvolver projetos de iniciação científica por 12
meses com seus professores;
• Passagens e diárias para um estudante e um professor
para apresentar o melhor trabalho em Feira de Ciências
Nacional;
• Certificado de apresentação de trabalhos a todos os
autores.
• Medalhas e troféus aos agentes que trouxerem a maior
quantidade de trabalhos para a I FECITBA-PA.
*Esta é a previsão de financiamento do Conselho Nacional de
Pesquisa (CNPq), mas poderemos ampliar a premiação caso
se consiga outros financiamentos para o evento.
VALOR DO FINANCIAMENTO
R$ 38.880,00 (Custeio e capital) e R$ 24.000 (bolsas de
iniciação científica júnior). Financiamento CNPQ.
LOCAL DE REALIZAÇÃO DA FEIRA
Espaço Pérola do Tapajós (Previsão inicial do projeto).

Que venha 2015!

É com enorme satisfação que damos início às atividades do Laboratório de Aplicações Matemáticas (LAPMAT) para o ano de 2015. Como nos anos anteriores, continuaremos as ações nas escolas de Educação Básica da rede pública de ensino com intuito primordial de contribuir com a formação dos nossos futuros professores e da divulgação e aquisição de conceitos matemáticos de nossa clientela: os alunos dentro da escola.

 Nosso projeto será mais uma vez fomentado pelo Programa de Iniciação à Docência (PIBID), contará com a participação de doze bolsistas e com os voluntários selecionados pela equipe coordenadora do Lapmat.

Em nosso planejamento, nosso carro chefe, o Clube de Matemática, atuará em duas escolas: E.E.E.F.M Madre Imaculada e E.E.E.F.M Pedro Álvares Cabral. Faremos uma seleção de outras escolas que serão contempladas com a  nossa Feira de Matemática e é nossa intenção continuar com as ações do Teatro de Tangram.  Paralelamente a isso, os projetos de iniciação científica irão continuar e daremos uma ênfase maior na produção científica (textos, artigos, relatos de experiência, banners, etc.) focando nos eventos na área da matemática previstos para esse ano.

Como visto, será um ano com metas bem ambiciosas, mas que cabem perfeitamente dentro de nossas possibilidades, pois sabemos o quanto este grupo é dedicado e competente. Diante disso, destacamos ainda que a colaboração de cada integrante da “família LAPMAT” será essencial para a realização de todas as atividades e para o pleno funcionamento do programa. Agora é arregaçar as mangas e seguir em frente.

Ótimo trabalho a todos! 

ENEM 2012

O MEC divulgou as notas por escola do ENEM 2012. Apenas as escolas que tiveram no mínimo 50% de seus estudantes concluintes do Ensino Médio Regular participando de todas as provas tiveram suas notas divulgadas. É importante que os gestores escolares, pais, professores, alunos e a própria universidade olhem com atenção para estes dados.

Mesmo que este não seja o melhor mecanismo de avaliação da qualidade do ensino que nossas escolas estão oferecendo, é um dos poucos parâmetros que temos em mãos para avaliar os problemas e apontar possíveis soluções para o ensino em nosso país. Sendo assim, destaco alguns pontos que considero relevantes.

A Região Norte não possui nenhuma escola entre as 30 mais bem colocadas do país (http://educacao.uol.com.br/noticias/2013/11/27/objetivo-integrado-fica-em-1-lugar-apos-reexame-de-nota-do-enem-2012.htm), e pior ainda, o estado do Pará possui escolas com média abaixo de 300 (http://educacao.uol.com.br/noticias/agencia-estado/2013/11/26/no-norte-piores-nao-alcancam-400-pontos-no-enem-2012.htm). Em Santarém 17 escolas tiveram suas médias divulgadas. Destas, cinco são particulares e representam as cinco melhores médias* do Município (Colégio Dom Amando 581,79; Colégio Santa Clara 557,47; Cristo Salvador 554,67; Colégio Batista de Santarém 541,24 e Colégio Tapajós 520,90). Mesmo entre essas escolas, a Média geral não chega a 600, pode-se dizer que o melhor ensino médio que estamos dando aos nossos alunos não passa de regular. Olhando para as escola públicas o problema torna-se ainda mais gritante. As 4 escolas mais bem colocadas (São Francisco 518,14, Rio Tapajós 454,13; Madre Imaculada 452,58 e Pedro Álvares Cabral 452,03) não atingem, sequer, o regular. As escolas conveniadas possuem desempenho intermediário (São Raimundo Nonato 503,96 e São José 479,85).

Os resultados mostram a distância entre as escolas estaduais e particulares, e isso, não ocorre só em Santarém, das 100 melhores médias do país, apenas uma é da rede pública (http://educacao.uol.com.br/noticias/agencia-estado/2013/11/26/no-norte-piores-nao-alcancam-400-pontos-no-enem-2012.htm). No Pará, a maior média entre as escolas públicas foi da Escola São Francisco em Santarém.

Governo, pais, professores e universidade ... precisamos pensar educação.

Quem é Prof. Afonso ?

Era apenas um outro voo qualquer. Estava com papéis na mão,  cheios de cálculos. Estava absorto no Problema 458 do Projeto Euler (http://projecteuler.net/problem=458). Este projeto merece um artigo em momomento oportuno. 

Quando, de repente, uma pessoa, que está na mesma fileira que eu, diz: "Esta é sua leitura de bordo ?". Explico que sou um matemático. Durante a conversa, três pontos me fizeram querer escrever sobre o momento.

Primeiro, veio a importante pergunta: "Para que serve o que você estuda?". Independente da discussão sobre a Matemática como ferramenta e o seu ensino de modo utilitarista, não podemos negar que esta pergunta está constantemente na cabeça dos nossos alunos. E precisamos estar preparados para responder.

Segundo e mais importante, a pessoa gostava de Matemática! E o motivo? O Professor Afonso. Ela disse que gostaria de reencontrá-lo para dar um a abraço em seu professor do Ensino Fundamental. Eu pensei que eu gostaria de ser um Prof. Afonso. Na verdade,  quero mais. Quero contribuir na formação de Afonsos.

E por último,  fui informado por este crítico de cinema,  que encontrei num voo, e nunca mais verei, que ele odeia "log". Imediatamente pensei se existe algum motivo para algum aluno gostar de logaritmos.

Escrevi para te agradecer Prof. Afonso, esteja onde estiver, seja quem for. Sei que não foi você que ensinou logaritmos para este aluno.

Calculadoras Financeiras

Empréstimos - Versão Simples (clique aqui)

  • Cálculo de Taxa, Parcela, IOF e CET.
  • IOF calculado pelo método de amortização decrescente.
  • Os itens Parcela e Juros Acumulados foram calculados considerando-se uma aplicação com rendimento real de 3% ao ano (que foi obtido por alguns investimentos em 2011).


Empréstimos - Versão Avançada (clique aqui)

  • Cálculo de Parcela e IOF.
  • Trabalha com taxa diária, mensal ou anual, efetiva ou nominal.
  • Permite escolher o método de capitalização.
  • Permite escolher o método de cálculo do IOF.


Pág. 1 de 2